Objetivos Gerais / Específicos


Bem vindo!

Aqui você encontra Informações; Oportunidades de negócios; Produtos; Serviços nas áreas ambiental, civil e imobiliária!

Agradecemos a visita!

Confira oportunidades de empregos em várias áreas e locais

PROJETE, CONSTRUA, REGULARIZE E DÊ MANUTENÇÃO EM SEU IMÓVEL...

PROJETE, CONSTRUA, REGULARIZE E DÊ MANUTENÇÃO EM SEU IMÓVEL...

Por menos poluição...

ADRENALINA MELHORA SUA VIDA...

Loading...

sábado, 18 de janeiro de 2014

A GESTÃO ADMINISTRATIVA NAS INSTITUIÇÕES

Neilson Guimarães *

A administração é uma arte milenar, nos primórdios da humanidade as civilizações instintivamente administravam suas tarefas. Na Bíblia Sagrada, quando Moisés estava a lidar no seu dia a cuidar  de  afazeres  que  seu  povo  lhe trazia, então Jetro,  um de seus discípulos sugeriu:  “ache  homens  capazes  para  serem líderes de 10, 100 e 1.000”  (Bíblia, Ex. 18), este antigo conselho foi dado a cerca de 3.500 anos atrás.

Nos primórdios da humanidade, as relações, os conflitos, as barganhas, o escambo, enfim, tudo que tangenciava as ações de grupos humanos eram administrados, com o avanço do desenvolvimento humano, os tempos se  passaram e foram surgindo relações de conflito, e assim desenvolvendo-se e ramificando-se a arte de administrar. 


A moderna teoria geral da administração que hoje temos conhecimento foi criada  por conceitos que apareceram e vêm se modificando há muito  tempo, desde que os pensadores e cientistas administrativos do passado vivenciaram tormentas práticas e procuraram técnicas para resolvê-las. 

Segundo Hampton  (1992), uma organização é uma combinação intencional de pessoas e de tecnologia para agir em determinado objetivo, as organizações têm três partes básicas: pessoas, tarefas e administração.  Sobre a administração (HAMPTON, 1992, p. 9) revela:  “O trabalho envolvendo a combinação e direção da  utilização dos recursos necessários  para atingir  objetivos específicos chama-se Administração”.

Relacionado à interação do administrador na organização, Hampton (1992,  p.  35) conclui, que, a organização é um sistema, e o administrador intervém nesse sistema freqüentemente por meio de planos, estruturas, direção e controles para  vários  fins, sendo que a principal  função do administrador é a de desenvolver  e manter uma adaptação dinâmica entre as pessoas e as tarefas, necessários para produzir a eficiência da organização e a satisfação humana.

Os administradores responsáveis pelas instituições devem  trabalhar  para  atingir  os objetivos e as metas organizacionais planejadas, que geralmente voltam-se ao atendimento às necessidades e metas empresariais, e para isto é preciso gerenciar planos traçados, pessoas das equipes, as tarefas e os recursos materiais, físicos e financeiros. 

De acordo com Ferreira e Oliveira (1989), para administrar de forma eficaz  é  necessário conhecer e seguir as funções administrativas, a fim de atingir os objetivos traçados, que seriam:

a)  Planejamento:  Função  que estabelece as  metas  e  os  métodos  para atingi-las,  [...].
b) Organização: Função que  reúne os diversos  fatores e recursos essenciais para a execução dos planos. [...].
c) Direção: Função administrativa de gerir a organização à medida que se  executam  os planos, procurando convertê-los em resultados. 
d) Controle:  Função administrativa de restringir e regular vários fatores, de  modo que os planos e projetos sejam executados [...].
e) Tomada de decisão: Pode ser encarada como uma função administrativa,  mas, também, como um elemento comum às demais  funções administrativas (de planejar, organizar, dirigir e controlar).   


Estas funções tradicionais da administração do mundo contemporâneo evoluíram para novos conceitos pragmáticos, tornando-se mais abrangentes e modernos, de forma que, sejam atividades ou pilares da administração e executem métodos eficazes de gestão onde, a orientação, informação, planejamento, organização, comunicação, motivação e liderança sejam elementos oriundos do plano de ações empresarial previamente planejado.

Nos dias atuais, pensar em empresa pública ou privada em que inexistam ferramentas para a execução do planejamento eficaz dos atos administrativos institucionais, é sem sombra de dúvidas imaginar a oferta de serviços mal administrados, onde o improviso de gestão tomará conta do quotidiano das ações administrativas mal resolvidas.

Aos gestores de sistemas desorganizados, é bom que procurem entrar em contato com as novas ferramentas administrativas da atualidade, estas, desde sua criação que remontam épocas anteriores a idade de Cristo, aos dias atuais, vem se modificando e alcançando novos parâmetros metodológicos, seu uso programado nas modernas empresas onde há um corpo técnico que faz uso de modernos métodos de gestão administrativa, passou a ser indispensável para a obtenção do sucesso corporativo.


NOTAS:
- Bacharel em Arquitetura e Urbanismo;
- Especialista em Gestão e Educação Ambiental;
- Pós Graduado - MBA em Gestão de Obras e Projetos;
- Pós Graduado em Engenharia de Segurança do Trabalho;
- Pós Graduado em Gestão Empresarial;
- Mestre em Gestão e Auditorias Ambientais com ênfase em Engenharia e Tecnologias Ambientais pela Universidade de Leon, Sapaña.
- Membro do Conselho Metropolitano de Desenvolvimento da Grande Vitória - COMDEVIT;
- Membro do Conselho Regional de Meio Ambiente do ES - CONREMA V; 
- Mebro do Conselho Gestor do Sistema de Transportes Públicos Urbanos de Passageiros da Região Metropolitana da Grande Vitória - CGTRAN-GV.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DECORE SEU IMÓVEL...

DECORE SEU IMÓVEL...

CONSULTORIA IMOBILIÁRIA ESPECIALIZADA - CONSULTE

CONSULTORIA IMOBILIÁRIA ESPECIALIZADA - CONSULTE